Monica in Floripa: Manezinha

Monica Snyder is a Chatham student currently studying with USAC Study Abroad in Florianópolis, Brasil.  Check out her blog at https://monicainfloripa.wordpress.com/

View from Morro do Lampião Vista de Morro do Lampião
No words for this view Sem palavras pra essa vista
Soccer game #1-Figueirense vs Brusque Primeiro jogo de futebol- Figueirense x Brusque
Soccer game #2- Avaí vs Figueirense Segundo jogo de futebol- Avaí x Figueirense

Hello readers! Today’s blog entry is going to be a little longer than usual. I will catch you up on my adventures, but I’m also going to talk about the day to day life here in Florianópolis, Brasil. Since Carnaval, I have gone on hikes, futebol (soccer) games, and school has started (yes for real)! My adventuring picks up with hiking Morro do Lampião (Lamp Hill), though it was more like a mountain… The trail was about 30 min long and it was all uphill. It was completely worth it though, because the view was the most breathtaking think I have ever seen. I got a 360 degree view of the island of Floripa, and it was, like I said, just breathtaking. That same day, 16 of us from USAC (program I’m doing the studying abroad through) went to a Brazilian futebol game! Everybody came to my house, where I made brigadeiros and beijinhos (coconut brigadeiros), and they got to meet my vovó and tia. The game was one of Floripa’s home teams Figueirense vs Brusque (another team from Santa Catarina). The game was another great exposure to Brazilian culture, and if you think Pittsburghers are sports fanatics… come to a Brazilian soccer game. Figueirense won 2 x 0. A week later, I got to go to another soccer game, but this time it was the Clássico: Avaí vs Figueirense! Both teams are from Floripa, so the rivalry is VERY intense. We sat with Figueirense, which was the visiting team at Avaí’s stadium, and my goodness were the fans passionate. It was an amazing time, the the atmosphere was so energetic, even with the final score of 0 x 0. I also got to go to a Lutheran Church, and it happened to be with people whom my mom grew up going to church with. I loved meeting them, and I loved meeting college students who are strong in their faith. Classes also finally started! UFSC started classes after Carnaval, so this year was a little later than normal, but while my friends were telling me about spring break, I was telling them about the first day of classes… I have 4 classes and they are going really well. I’m continuing my Portuguese and learning about trade and development from a Brazilian perspective. I am also taking a Brazilian film class, where I get to learn more about Brazilian culture through film, which is a new and interesting perspective (and no, we are not watching City of God or Rio). I am LOVING LOVING my time here in Brasil, but in this blog post, I wanted to write about differences that I notice between the US and Brasil. My study abroad experience is different from normal experiences: I am a citizen of Brasil, I have family in the city where I am studying (which means I am living with them), and I already know the language (though I still have a lot to learn). Being a citizen means that I have a Brazilian passport, I have to register to vote (voting is required by law here once you turn 18), and I have a CPF (Brasil’s social security number). Acquiring some of these documents has been a very long road. I have been here for 3 months and just got my CPF number. The bureaucracy in Brasil is very different from in the US, it takes a lot longer to get things processed and approved. Brasil also has a free healthcare system, meaning that doctor appointments and hospital visits are free. This is great news, but this also means that wait times are very, very long. Someone here was telling me that they made an eye doctor’s appointment in 2016 and just went to the appointment 3 weeks ago. Floripa is considered one of the wealthiest cities in Brasil, yet there are still people sleeping on the streets and people selling things while cars are stopped at red lights. Public transportation is used by everyone in Floripa, yet it takes me almost an hour to get to UFSC by bus because of traffic and lack of connecting roads. Electricity is very expensive in Brasil, so air conditioning is not widely available like in the US, which is a challenge since we are in a subtropical climate (most buses do not have AC). Dryers are also very rare to find in a Brazilian household. Because Brasil’s economy focuses mainly on agriculture, a lot of goods are imported into the country. Many Brazilians have Samsung phones because Apple products are so expensive. $1 is equal to about R$4 (the real is Brasil’s currency). Floripa also has A LOT of traffic, due to lack of connecting roads (there is about one way to get to a place) and one bridge connecting the island to the continent (Floripa is on the island and partly on the continent of Brasil). There is a 2nd bridge that is considered a landmark, and it is under construction, but it has taken many many years and another bridge will not be built in the near future due to public funding. Even with all of these differences, I am still in love with Florianópolis. The natural beauty of the island can’t be found anywhere else in the world. And the people, the people are so kind, friendly, helpful, and happy. They enjoy life and love to share their Brasil with you. These people and this place will forever have a place in my heart. Floripa isn’t perfect, but where is? I’m making memories with my American friends, Brazilian friends, friends of my mãe (mom), friends of my vovó, and friends of my tia. I thank God for placing me here in Floripa to be with my family, and learn more about a myself and a country I love. I’m learning what it means to be a Brazilian. In the next edition of Manezinha, I will tell about an upcoming birthday and travels. Beijos

Oi amigos! Esse capítulo tá mais longa do que o normal. Vou falar sobre minhas aventuras, mas também vou falar sobre o dia a dia aqui em Florianópolis, Brasil. Desde o Carnaval, fiz trilhas, assisti jogos de futebol e a escola começou (sim é a verdade)! Eu fiz a trilha do Morro do Lampião, mas é mais como uma montanha … A trilha foi 30 minutos e era toda subida. Mas valeu a pena, porque a vista era a coisa mais linda que eu vi na minha vida. Tinha uma vista de 360 ​​graus da ilha de Floripa. No mesmo dia, 16 de nós da USAC (programa do meu intercâmbio) foram para um jogo de futebol brasileiro! Todo mundo veio à minha casa, onde eu fiz brigadeiros e beijinhos, e eles conheceram minha vovó e tia. O jogo foi um dos times de Floripa: Figueirense x Brusque (outro time de Santa Catarina). Vemos mais da cultura brasileira, e se você acha que os Pittsburghers são fanáticos por esportes … venha para um jogo de futebol brasileiro. Figueirense ganhou 2 x 0. Uma semana depois, consegui ir para outro jogo de futebol, mas desta vez foi o Clássico: Avaí x Figueirense! Os dois times são de Floripa, então a rivalidade é MUITO intensa. Nós sentamos com o Figueirense, que era o time visitante no estádio do Avaí, e eram os fãs apaixonados. Foi incrível, a atmosfera era tão enérgica, mesmo com o placar final de 0 x 0. Eu também fui na igreja luterana, e onde tinha pessoas com quem minha mãe cresceu frequentando a igreja. Eu adorei conhecê-los e adorava encontrar estudantes que fossem fortes na sua fé. As aulas também finalmente começaram. A UFSC começou as aulas depois do Carnaval, então este ano foi um pouco mais tarde do que o normal, mas eu vi fotos dos meus amigos nas ferias da primavera, e eu mandei fotos do primeiro dia da escola… Eu tenho 4 aulas e tô gostando. Estou continuando meu português e aprendendo sobre a economia de uma perspectiva brasileira. Eu também tenho uma aula de cinema brasileiro, onde eu aprendo mais sobre a cultura brasileira através do cinema, com uma perspectiva nova e interessante (e não, nós não estamos assistindo Cidade de Deus ou Rio). Estou ADORANDO o meu tempo aqui no Brasil, mas neste capítulo do meu blog, eu queria escrever sobre as diferenças que eu noto entre os EUA e o Brasil. Minha experiência de intercâmbio é diferente das experiências normais: sou cidadã do Brasil, tenho família na cidade onde estou estudando (estou morando com elas) e já falo a língua. Ser cidadã significa que tenho um passaporte brasileiro, tenho que me registrar para votar e eu tenho um CPF. Obtendo alguns desses documentos foi… longo. Estou aqui há 3 meses e recebi o meu número de CPF agora. A burocracia no Brasil é muito diferente da dos EUA, demora mais para as coisas sejam processadas e aprovadas. O Brasil também tem um sistema de saúde gratuito. Esta é uma ótima notícia, mas isso também significa que os tempos de espera são muito, muito longos. Alguém aqui estava me dizendo que eles fizeram uma consulta de oftalmologista em 2016 e só foi para a consulta há 3 semanas. Floripa é considerada uma das cidades mais ricas do Brasil, mas ainda há pessoas dormindo nas ruas e pessoas vendendo coisas enquanto os carros são parados. O transporte público é usado por todos em Floripa, mas eu demoro quase uma hora para chegar à UFSC de ônibus por causa do trânsito e da falta das ruas de conexão. A eletricidade é muito cara no Brasil, então o ar-condicionado não é nos todos os lugares como nos EUA. Secadores também são muito raros de se encontrar em uma residência brasileira. A economia do Brasil se concentrar principalmente na agricultura, então muitos produtos são importados para o país. Muitos brasileiros têm celulares Samsung porque os produtos da Apple são muito caros. $1 é como R$4. Floripa também tem MUITO transito, não tem estradas de conexão (há cerca de uma maneira de chegar para um lugar) e uma ponte conectando a ilha ao continente. Há uma segunda ponte que está em resturação, mas levou muitos anos e uma outra ponte não será construída em um futuro, por causa do financiamento público. Mesmo com todas essas diferenças, ainda estou apaixonada por Florianópolis. A natureza da ilha não pode ser encontrada em nenhum outro lugar do mundo. E as pessoas, as pessoas são tão gentis, amigáveis e felizes. Brasileiros aproveitam a vida e têm amor para compartilhar seu Brasil com você. Essas pessoas e este lugar terão um lugar no meu coração para sempre. Floripa não é perfeita, mas onde é? Estou fazendo memórias com meus amigos americanos, amigos brasileiros, amigos da minha mãe, amigos da minha vovó e amigas da minha tia. Agradeço o Deus por me colocar aqui em Floripa para estar com minha família e aprender mais sobre mim e um país que eu amo. Tô aprendendo como é pra ser brasileira. No próximo capítulo da Manezinha, vou escrever sobre um aniversário e viagens. Beijos

Leave a Reply

Your email address will not be published.